QUAIS AS RELAÇÕES ENTRE A ESCRITA E A FALA?

  O processo de aprendizagem que favorece a fala e a escrita é algo que deve ser acompanhado e orientado de perto pelos educadores e psicopedagogos. Afinal, o momento em que ocorre o despertar de tais habilidades é logo na primeira infância, período crucial para o desempenho de práticas que podem estimular a independência dos pequenos. A consciência fonológica é o que permite essa possibilidade na vida de todos nós. Além disso, ela representa a relação em comum entre fala e escrita.

DEFININDO CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA

  A consciência fonológica pode ser definida como a habilidade que todos nós temos em manipular os sons provenientes da nossa língua. Isso significa que a criança passa a obter a capacidade de perceber que uma palavra pode começar ou terminar com o mesmo som, por exemplo. Outro dado importante é que a consciência fonológica ocorre quando a pessoa sabe que existem  termos grandes e pequenos, além da existência de frases em determinados tamanhos e formas.

A IMPORTANTE PRESENÇA DA ESCOLA

  É sempre importante dizer que a experiência adquirida na escola favorece, e muito, a aprendizagem dos pequenos. A consciência fonológica é um processo que vem antes da alfabetização das crianças e ela contribui diretamente com a fala e a escrita na formação da criança. Importante ressaltar que a consciência fonológica permite que os baixinhos reconheçam o som das letras e das palavras pertencentes da língua.

  O aspecto interdisciplinar da consciência fonológica favorece o processo de aprendizagem da fala e da escrita por proporcionar à criança as maneiras que devem ser utilizadas na pronúncia das palavras e na forma de colocá-las no papel. No entanto, é necessário ressaltar que o tempo das crianças precisa ser respeitado.

  Isso é explicado porque na faixa dos 3, 4, 5 anos os pequenos devem estar sob o aspecto lúdico do aprendizado, mesmo sendo estimuladas à prática de uma escrita e de uma fala em aprimoramento. O interessante é que os educadores podem induzir a consciência fonológica e tais habilidades com o uso de brinquedos e objetos diversos que despertem a atenção da criança durante o ensino.

A PRESENÇA DOS FONOAUDIÓLOGOS NA VIDA DOS PEQUENOS

  Além dos especialistas já citados anteriormente, não podemos deixar de citar os fonoaudiólogos como grandes contribuidores para o desenvolvimento dessas habilidades. Os profissionais trabalham não só a fala, mas a linguagem como um todo.

  Vale relembrar também que o fonoaudiólogo é o responsável por traçar, junto com as diretrizes da equipe pedagógica, exercícios que trabalhem a oralidade. Isso significa que o profissional utiliza materiais gráficos para estimular a leitura e, assim, analisar os problemas apresentados pela criança.

  Outro fator importante é a associação das funções do fonoaudiólogo ao planejamento escolar, sendo que a comunicação do estudante é um detalhe primordial de todo o processo pedagógico. Mesmo que esses profissionais não pertençam de fato à área pedagógica, vale dizer que eles representam uma importante parceria na proposição de soluções que visem dar à criança e aos seus pais melhores resultados em sua linguagem.

ATIVIDADES QUE PODEM TRABALHAR A FALA E A ESCRITA

  A aprendizagem das crianças está ligada a uma absorção mais fluida do conteúdo passado para elas. Com isso, as atividades que prezam mais pelo aspecto lúdico do ensinamento tendem a favorecer e muito o desenvolvimento da fala e da escrita de todas elas.

Fonte : Neurosaber.com.br